Seja bem-vindo! Aproveite o conteúdo abaixo. Esta página não é mais atualizada. Obrigado por sua visita.

Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2007

Efatá

Na tarde de hoje fui muito abençoado com a leitura da Bíblia no Evangelho de Marcos 7.31-37 sobre a cura de um surdo e gago. Foi um encontro divino com o Senhor que me impactou.

Jesus andava pela região de Decápolis, uma liga de dez cidades livres com alto nível de cultura grega. Estando alí, lhe trouxeram um homem surdo que mal podia falar, para que ele o curasse. Saindo do meio da multidão com o homem, Jesus toca seus dedos nos ouvidos dele e em seguida na língua. Olhando para o céu, Jesus deu um profundo suspiro e falou para o homem em aramaico: "Efatá"!, que significa "abra-se!". Os ouvidos do homem se abriram e ele começou a falar corretamente.

O homem mal falava porque não ouvia. Quando seus ouvidos foram abertos, ele começou a falar corretamente. Parei minha leitura e comecei a receber lições preciosas enquanto meditava no texto sagrado. Lembrei-me de Kris Lundgaard, o autor que estou lendo nestes dias. Ele disse que gastava uma hora para ler oito ou dez páginas dos escritos de John Owen, teólogo do século 17. Hoje, esses cinco versos da Bíblia me pararam. Poderia ter ficado muito tempo meditando, não fosse uma visita marcada para ser feita.

Uma das lições tiradas do texto, é que não podemos falar bem quando não ouvimos bem o que Deus tem para nos dizer. Aquele homem falava, mas falava com dificuldade. É o caso de muitas pessoas em nossos dias. Falam, mas falam mal. São pobres de conteúdo, falam desnecessariamente e pouco oferecem quando abrem a boca. Suas palavras não tem sabor. A Bíblia diz que devemos falar apenas palavras úteis que edificam graciosamente quem nos ouve. Diz ainda que o nosso falar deve ser agradável e temperado com sal (Ef 4.29; Cl 4.6).

Falamos mal porque ouvimos pouco a Deus. Ouvir a Deus é mais do que apenas ler a Bíblia. Precisamos aprender a ouvir a Palavra de Deus e não somente ler friamente suas páginas. O Salmo 40.6 diz: "Sacrifício e oferta não pediste, mas abriste os meus ouvidos..."; que literalmente quer dizer: "o Senhor cavou ouvidos em mim".

Quantas cabeças de concreto precisando da picareta dos céus para cavar ouvidos moucos que pouco ou nada ouvem da parte do Senhor. Daí, se falar tão mal nas conversações cotidianas e nos púlpitos das igrejas. Nunca vi tanta pobreza no falar por parte daqueles que se apresentam como porta-vozes do Senhor.

Na Idade Média havia uma tradição que dizia que o órgão usado para a concepção em Maria, a mãe de Jesus, havia sido o ouvido. Sem fazer disso um dogma teológico, precisamos de fato atentar para a verdade de que a mudança começa pelo ouvido. Surdos não falam, ou falam mal. Que eu e você aceitemos hoje mesmo o toque curador de Jesus, dizendo: "Efatá!", para você e para mim. Amém!

Antonio Francisco às 01:31

:
De Julia e Raphael a 22 de Janeiro de 2007 às 03:54
Olá, amigo Antonio. Fiquei emocionada com suas palavras. Penso que todos temos que nos ajudar e fazer desse um mundo melhor. Gostei muito dos seus blogs. Parabéns. Já estás adicionado no MSN e por favor, se tiveres alguma dúvida, não se acanhe em perguntar. Tenha um semana abençoada. Abraços.

Julia.
|
De Antonio Francisco a 22 de Janeiro de 2007 às 07:30
Obrigado Ju por seu retorno. Seu carinho e amabilidade são cativantes. Uma vez perguntaram para alguém se era possível amar a quem não vemos. Ao que a outra pessoa respondeu: Claro! A prova disso é a de uma mãe cega. Eu não sou cego. Bons dias no Brasil. Até! Antonio Francisco.
|